MINISTÉRIO PÚBLICO DE PE, EMITE RECOMENDAÇÃO SOBRE NÃO ACENDER FOGUEIRA E QUEIMAR FOGOS NESSE PERÍODO JUNINO

BOLETIM DIÁRIO TRINDADE / COVID-19 (21/06/2020)
21 de junho de 2020
BOLETIM DIÁRIO TRINDADE / COVID-19 (22/06/2020)
22 de junho de 2020

MINISTÉRIO PÚBLICO DE PE, EMITE RECOMENDAÇÃO SOBRE NÃO ACENDER FOGUEIRA E QUEIMAR FOGOS NESSE PERÍODO JUNINO

Neste ano, a tradicional festa de São João não poderá ser realizada tendo em vista a situação de emergência em saúde pública devido à pandemia do novo coronavírus (Covid-19). Por recomendação do Ministério Público do Estado de Pernambuco (MPPE), *o município de Trindade e demais cidades do Estado,* emite decretos para que seja proibido o acendimento de fogueiras e a queima de fogos de artifício, uma vez que tais artefatos podem vir a aumentar, ainda mais, a incidência de doenças respiratórias e consequentemente a procura das unidades de saúde devido, ainda, a queimaduras e aglomerações. O Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE) e o Tribunal de Contas do Estado de Pernambuco (TCE-PE) são parceiros nesta campanha.

A fim de apoiar a conscientização da sociedade quanto à premente necessidade, o MPPE lançou, neste mês a campanha de conscientização do pernambucano no período junino.

A campanha procura alertar sobre a aglomeração de pessoas, que compromete o isolamento social; a fumaça, que aumenta o risco de doenças respiratórias (como asma, rinite, alergia, entre outras); o risco de queimaduras com fogos de artifício e fogueiras.

“A tradição junina é muito forte em nosso Estado. E nós sabemos que acender fogueiras e queimar fogos de artifício, naturalmente, provocam problemas relacionados à doenças respiratórias, o que pode resultar: no agravamento dos sintomas dos portadores da Covid-19; aumento na procura de leitos hospitalares já escassos; bem como incentivar o processo de contágio devido à aglomeração de pessoas. Essa é uma ação impopular, mas essencial para que seja possível preservar vidas. Com a campanha, poderemos viralizar essa informação para que possamos conscientizar a população da extrema necessidade dessas medidas”, disse o procurador-geral de Justiça de Pernambuco, Francisco Dirceu Barros. As informações acerca da impossibilidade de acender fogueiras, queimar e comercializar fogos está contida na Recomendação PGJ n.º 29/2020.

Da Assessoria de Comunicação – Trindade