Em Trindade Audiência Pública discute plano integrado sobre Resíduos Sólidos

Sesi – Trindade inaugura Posto Avançado do Serviço Social da Indústria
30 de maio de 2014
Trindade realiza I Mostra Ambiental do Ensino Infantil
4 de junho de 2014

Em Trindade Audiência Pública discute plano integrado sobre Resíduos Sólidos

trindade audiência públicaCom interesse de unificar e fazer participativo aos interesses da comunidade, o Ministério Público de Pernambuco, através da Promotoria de Trindade, juntamente com a Prefeitura Municipal de Trindade promoveu na última semana (29) uma Audiência Pública para tratar sobre o Plano Nacional de Resíduos Sólidos que avançará no município de forma educacional, mostrando a realidade, fortalecendo o pacto de gerenciamentos e uma nova forma de encarar o lixo com a consciência ambiental que todos cidadãos precisam diante os fatos apresentados.

O prefeito Dr Everton Costa anunciou na audiência que será criada uma Secretaria de Meio Ambiente para melhor atender o município. “Dia 06 de junho sairá à nomeação da equipe que fará parte da Secretaria de Meio Ambiente, para que Trindade avance ainda mais no seu plano de gerenciamento de resíduos sólidos”, destacou o prefeito do município.

Com a criação desta Secretaria a cidade trindadense irá atender as leis e gerenciamentos que o Ministério do Meio Ambiente (MMA), prevista na Lei n° 12.305, de 2010, que instituiu a Política Nacional de Resíduos Sólidos. Uma série de responsabilidades está sendo exigidas à União, estados, municípios e iniciativa privada. Aos municípios, bem como Trindade, cabe estabelecer sistema de coleta seletiva e a construção de aterros sanitários ambientalmente adequados, em substituição aos lixões a céu aberto.

Para o promotor, Dr. Diógenes L. Nogueira Moreira, o pacto firmado deverá ser conscientizado pelos órgãos públicos competentes e que é preciso também trabalhos de reeducação ambiental para que garanta aos cidadãos trindadenses maior agilidade nos pactos firmados.

Até 2014, todos os lixões do Brasil devem ser eliminados. Para isso, será preciso implantar aterros sanitários, o que não se faz da noite para o dia. As cidades e estados que não tiverem plano de gestão não vão poder solicitar recursos para fazer este trabalho.

Na audiência estiveram defendendo o debate além do Prefeito Dr. Everton Costa e do promotor, Dr. Diógenes L. Nogueira Moreira, as promotoras Dra. Ana Rúbia e Dra. Júlia Pazinnato, além dos secretários de Obras, Lamarty Piancó, do secretário de Indústria e Comércio, Charles Gerlane Barros, secretária de Saúde, Suência Darla, secretário de Administração, Chico Leite, os vereadores – Maurício Elias e Pollianna Sá, entre representantes da sociedade civil.

ASCOM – TRINDADE